O Celular virou um “foguete”​ ou …

“O celular será parte do corpo humano e definirá o novo ciclo de consumo”, Júlio Zaguini, diretor do Google.

Gosto de ler anotando e rabiscando livros e revistas. Não é bom? Agora, descobri que o Google facilita mais a minha vida. Faço uma leitura ou narração e ele, “Pai de todos” e etc, transforma a voz em texto. Maravilhoso este recurso, que uso no smartphone.

Neste caminho, lendo a Revista Exame, recente, me deparei com texto, muito bem alinhado, do jornalista Luciano Pádua e fiz alguns apontamentos curiosos, que reproduzo aqui: “Vinte anos atrás, se alguém dissesse que o telefone celular teria mais capacidade de computação do que a primeira espaçonave, que levou o homem à lua, a gente não acreditaria”.

O computador do pessoal da missão Apollo, com certeza, tinha memória bem menor que o celular do seu filho – tinha apenas 2 KB de memória RAM. Sem contar que, com toda certeza, um dos nossos moderninhos tem um preço bem mais em conta. Numa “googada” pesquisando preço, você acha Sansung J5 por 700 reais, com um detalhe, com espaço para dois “chips”. Fenômeno China no encurtamento dos preços.

Ainda, sobre smartphones, um dado interessante replicado pelo jornalista, é que “as pessoas olham para sua tela, em média, 150 vezes por dia”. Ele já virou quase que uma extensão do corpo humano e pode ser considerado uma principais das inovações disruptivas dos últimos tempos.

Anterior

Próximo

Pin It on Pinterest

Share This
× ME MANDE UM ZAP AGORA!